terça-feira, 31 de julho de 2012

As três peneiras

O discipulo chegou ao seu mestre e disse:

- Mestre, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Tetsuo. Disseram que ele...

Nem chegou a terminar a frase, o Mestre, apartou:

- Espere um pouco Sogetsu aluno. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras?

- Peneiras? Que peneiras, Mestre?

- A primeira, Sogetsu, é a da VERDADE. Você tem certeza de que esse fato é absolutamente verdadeiro?

- Não. Não tenho, não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram.

Mas eu acho que...

E, novamente, Sogetsu é interrompido pelo Mestre:

- Então sua historia já vazou a primeira peneira. Vamos então para segunda peneira que é a da BONDADE. O que você vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito?

- Claro que não! Deus me livre, Mestre - diz o discipulo, assustado.

- Então, - continua o Mestre - sua historia vazou a segunda peneira.

- Vamos ver a terceira peneira, que é a da NECESSIDADE. Você acha mesmo necessário me contar esse fato ou mesmo passa-lo adiante?

- Não, Mestre. Passando pelo crivo dessas peneiras, vi que não sobrou nada do que eu iria contar - fala Sogetsu, surpreendido.

- Pois é, Sogetsu, já pensou como as pessoas seriam mais felizes se todos usassem essas peneiras? diz o Mestre e continua:

- Da próxima vez em que surgir um boato por aí, submeta-o ao crivo destas três peneiras: VERDADE - BONDADE - NECESSIDADE, antes de obedecer ao impulso de passa-lo adiante, porque:

PESSOAS INTELIGENTES FALAM SOBRE IDÉIAS, PESSOAS COMUNS FALAM SOBRE COISAS, PESSOAS MEDÍOCRES FALAM SOBRE PESSOAS.


Autor Desconhecido

segunda-feira, 30 de julho de 2012

De Quem é o Presente?

Perto de Tóquio vivia um grande samurai idoso que agora se dedicava a ensinar o zen aos jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário. Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação: esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante. O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta. Conhecendo a reputação do samurai, estava ali para derrotá-lo, e aumentar sua fama. Todos os estudantes se manifestaram contra a ideia, mas o velho aceitou o desafio. Foram todos para a praça da cidade, e o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direcção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos conhecidos, ofendendo inclusive seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.
Desapontados pelo fato de que o mestre aceitar tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram: - Como o senhor pode suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?
- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo - respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos - disse o mestre - Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo. A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir...

Conto Zen

sábado, 28 de julho de 2012

Caindo



Anyhaseo!


Anthony Pettis acertando um chute circular em Bendo



Hoje conversando na internet  sobre olimpíadas falávamos sobre ginástica e como muitas vezes um atleta treina a vida toda para ir a um evento e no momento mais importante de toda sua vida de esportista ele cai se machuca e sai derrotado perante todos.
De repente me veio à mente a luta entre Anthony Pettis e BenHenderson no extinto WEC 53 em dezembro de 2010. Se eu não me engano foi o nocaute do ano de 2010.
 Uma cena bem forte e muitos lutadores, que não tivessem base psicológica, poderiam até desanimar e ter seu orgulho abalado por um grande período isso são não entrassem numa espiral de “má fase” até aposentarem.
A vida é assim mesmo uma hora você preparado ou não é pego de surpresa. Seja em uma área diferente da vida ou mesmo na sua vida marcial. Uma hora você acaba encontrando uma dificuldade. Na verdade a arte marcial é isso. Se preparar para sobreviver a dificuldades. Pelo menos as que envolvam sua integridade física e espiritual (um artista marcial se faz com um espírito inabalável ). E luta é algo inerente a vida. Dificuldade também. O ser humano busca (mesmo que inconsciente ) o conforto a “carne” é acomodada. Só que uma vida sem luta é uma vida sem crescimento. Estar sem lutar sem superar dificuldades é ser e estar estagnado.
No último post falei de um livro que conta a vida do judoca Max Trombini e uma das oportunidades maiores em sua vida surgiram após ele ser desclassificado de uma seletiva para as Olimpiadas. Coisa que era seu objetivo e a qual ele se dedicava 24 horas. De sua “derrota” surgiu a oportunidade para ser professor e semear sua arte pelo mundo. E muitos atletas olímpicos vieram treinar com ele. Treinar com o ” homem que não passou na seletiva”. Pois ele não se viu como “o homem que não passou na seletiva”. Ele se viu como o homem que não tinha como desistir.
E voltando a história do Ben Henderson. Ele não desistiu e no UFC 144 ele se tornou campeão dos pesos leves contra  Frankie Edgar. No final da luta nota-se Edgar levantando a mão já imaginando vitorioso em mais uma defesa de titulo a qual lutou com muita garra também. Mas Bendo realmente foi melhor e sagra-se campeão por decisão unanime.
Agora no UFC 150 o desafiante será Edgar e Bendo estará no outro lado. Será sua primeira defesa de titulo no UFC e estaremos assistindo para ver como o taekwondista se sairá.
A derrota é ruim a queda o erro também, mas são importantes para o desenvolvimento do caráter.  Quer seja na carreira de esportista ou artista marcial. Se a derrota não matar você ela te fará mais experiente. Então treine para vencer e lute para vencer! Mas se nessa trajetória você cair. Levante-se. Nunca se permita descansar, pois enquanto você o faz seu inimigo treina!

"Tô no meio da estrada e nenhuma derrota vai me vence"
Humberto Gessinger

"eu não quero passar pela vida como quem tem que se desculpar"
Paulo Ricardo 





Oss!  

Até a proxima!