quarta-feira, 2 de maio de 2012

A necessidade se machucar!




Anyhaseo!

"Todo homem morre, mas nem todo homem é lembrado."

(O Patriota)






Quando eu era criança costumava brincar com bolinhas de gude. Carregava uma garrafa pet com elas até encherem de bolinhas que coletava nos inúmeros desafios nos quais me eram propostos por meus amigos. Não era o melhor jogador do bairro, mas quanto mais eu me esforçava e arriscava mais a sorte me sorria. Às vezes ocorria de receber desafios de meninos menores que eu na faixa dos 5 até uns 7 anos. Eu com nove recusava a maioria. Pois eu sabia que, muitas vezes em quase 100% dos casos, aceitar esses desafios representava uma perda de tempo, pois um garoto menor quando perdia chorava e fazia birra e chamando a mãe dele fazia você entregar as bolinhas conquistadas no embate. Como diz uma velha frase da molecada acostumada a morar em prédios:”Não quer brincar então não desce para o playground!”
Há umas semanas meu mestre ouviu de um pai de um aluno que se machucou na aula (choque comum de canela com canela ou coisa parecida): “Eu pratiquei artes-marciais a vida inteira e nunca me machuquei”.
A não ser que ele tenha exagerado dizendo que nunca se machucou de forma relevante. Ele mentiu feio. Ou ele lutava aquelas ”lutas com cotonetes na ponte” em que quem cai da ponte. Cai num amontoado de espumas. Ou o mestre dele era um “boneco” que não ensinou nada relevante.
Eu mesmo pratico artes marciais desde 2009 e nunca me machuquei de forma relevante. Exemplo: Quebrar um braço, costela ou perna.
Devo ter trincado alguns dedos do pé, mas nada que houvesse a real necessidade de atrapalhar a vida de um ortopedista ou de um clinico geral. Mas torções, hematomas, equimoses, estiramento e outras lesões por excesso (ou falta) de esforço, por ser leigo ou simplesmente por chutar errado ou perder o tempo do saco de pancada.Isso sempre foi direto. Algumas você mesmo corrige e outras são quase inevitáveis. Já leveis vários nocautes técnicos. E creio que alguns órgãos tenham até hoje a marca do calcanhar de meu mestre. O mais próximo de um nocaute que eu lembro que levei foi um chute circular no queixo. Apagou tudo por alguns segundos mas nada que eu caísse ou desmaiasse. Até acredito que é um milagre que meu nariz esteja intacto desde 2009. Mas é algo que vivo com a certeza que mais cedo ou mais tarde ira quebrar e como tenho um nariz de judeu (até pois o nome Mendes em uma de suas origens remonta a judeus) creio que não deve ser difícil de acertar.
Desde que comecei a praticar artes marciais digamos que me preparei para morrer se necessário. E considero uma honra morrer assim. Falo com orgulho e não tenho o mínimo de aspiração a morrer e nem busco isso. Somente aceito como algo imutável nos nossos destinos e que muitos não querem aceitar.
Não só nas artes marciais há o infortúnio de morrer ou se ferir. No futebol mesmo vimos há alguns anos um jovem ser empalado durante um jogo de futebol de salão. Atletas de skate tendo fraturas uma ou outra vez na vida. Esses dias mesmo eu estava jogando futebol e terminei com os joelhos machucados e braços arranhados e fiquei super feliz pois além de estar me divertindo me bateu uma saudade da infância quando vira e mexe me machucava jogando bola ou até andando de bicicleta.
De uma forma bem direta para finalizar o tópico: Se você não esta pronto para se machucar, não esta pronto para viver!
Isso em todos os campos. Físico, mental, espiritual, sentimental e por aí vai. Sua parte é agüentar as porradas. Se você as agüenta, está pronto para viver. Na Biblia conta a historia de Ló e Abraão (que eram sobrinho e tio). Ló era um cara que procurava sempre a vida mais fácil os lugares mais planos e confortáveis. Já Abraão ele ia onde era ordenado. Não reclamava. Ele sempre estava pronto. Resultado: Ló acabou tendo sua descendência extinta da terra. Já Abrão gerou descendência que veio a se espalhar por toda a Terra.
Nunca desista e sempre treine com o seu melhor. Se você algum dia se machucar é só ficar calmo. A gente não esta na guerra civil americana onde se amputam pessoas com serrotes e sem anestesia. Temos médicos que podem cuidar de nós. Toma vergonha na cara e vai dar tudo certo. Agora se não quiser se machucar é só comprar uma sapatilha e se dirigir ao balé. Mas por menor que sejam os riscos lá também existirão.
Entenda os riscos e saiba que às vezes você perde. Seja as bolinhas de gude ou a luta!

Oss



David Mendes Um conceituado piloto de Need for Speed Pro Street

Nenhum comentário:

Postar um comentário