quinta-feira, 17 de maio de 2012

Futebol X MMA ?


Anyhaseo!


Há um tempo fui em um desses “Sport & Bar” ver uma luta de MMA com uns amigos da academia. Confesso que ficamos decepcionados com a experiência pois durante a luta as pessoas gritavam como loucas durante a luta. Parecia que estávamos em um estádio e sem separação de torcidas, onde qualquer coisa poderia resultar em briga. De certa forma até comentei sobre umas “panelinhas” de jovens com camisetas de academia. Nada contra eu mesmo tenho uma camiseta que fiz da minha academia e me orgulho dela e até fui desafiado por um Pitt boy da vida em certa ocasião. Creio que uniformes criam certas divisões de grupos podendo claramente se tornar no principio de uma “torcida organizada” em tais eventos. E faço questão de falar que se em uma briga de torcida organizada já resultam em mortes. Imagina uma briga onde TODOS tem uma determinada noção de luta?
 Além de não termos tido o prazer de ver em paz. Ouvir narrações e poder analisar o que estava acontecendo.  Beber e comer como seres humanos.  Tínhamos que ver homens gritando nomes de lutadores (como se eles pudessem ouvir) como meninas gritam o nome de um ídolo teen qualquer, como (na minha época) um “Backstreet Boys” da vida. Ver adultos se comportando como meninas de 14 anos me decepcionou.
Hoje vi em um site a declaração do lutador de MMA Mauricio Shogun falando sobre o perigo da associação do MMA com o futebol. Pois rola um fanatismo e não gostaria de ser amado ou odiado por quem sempre foi seu fã, por um motivo banal como um patrocínio de futebol.
Durante uma entrevista do Anderson Silva no programa Pânico. Ele fala que ele luta pelo Brasil e não pelo Corinthians. Mas por mais que se tente explicar isso a um corinthiano fanático, eu duvido que ira ele entender e conseguir divisar uma coisa da outra. Por mais que o Anderson Silva repita isso em cadeia nacional no horário nobre da televisão. Pois fanatismo é isso. Uma paixão infundada por algo ou alguém.
O exemplo mais perfeito disso eu sempre cito:
Um “metaleiro” é um sujeito que curte rock.
Um “punk” é um sujeito que curte rock.
Os dois se dão bem?
Nem um pouco se houver fanatismo. Aí você me pergunta o motivo. Os dois curtem rock então por qual razão brigar?
Quando você tem uma paixão infundada por algo e seus argumentos acabam (ou o outro os ignora) o que resta para defender seu posicionamento? Infelizmente no caso de um fanático são os palavrões e quando eles acabam ai vem a porrada.
Eu curto futebol e amo ver futebol, mas quando meu time perde ou ganha eu continuo da mesma forma. Sentimentalmente rola uma felicidade e até uma motivação, mas no mais eu continuo tendo que pagar as contas e trabalhar e todo o resto.
Dói em meu coração quando vejo pessoas dizendo que seu time é a vida delas. Sinto pena dela. A vida é tão grande e tão cheia de maravilhas para ser resumida em  um time de futebol.
Há tanta coisa para fazer e pelo que lutar.
Tenho medo que um dia o MMA seja assim.
Acho que o jeito do brasileiro se comportar e torcer por algo tem que ser revisto. E se isso não acontecer não é saudavel ligar MMA a futebol. E isso somente com educação pode ser mudado. Não da educação que você deixa nas mãos do governo (o brasileiro adora terceirizar suas responsabilidades). Mas a da sua própria família. Ao invés de ensinar desde pequeno o menino a amar um clube vestindo ele com uniformes desde pequenino. Por que não deixar isso mais para frente quando ele já tiver uma certa noção do que isso realmente seja.
O mundo muda de dentro para fora. Em nós mesmos começam as grandes revoluções
Pensem nisto. 

Oss





Fotos:
http://www.corinthians.com.br

http://tudocelebridades.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário