segunda-feira, 23 de abril de 2012

O "jeitinho" brasileiro!


“Tentando não errar mais do que já errei”
MPXIII (Rapper)


"A realidade é uma merda?
Azar da realidade porque nos vamos mudar!"
 Lobão (Cantor)


Hoje quando fui ao trabalho notei que algumas pessoas no ônibus fingiam dormir para não darem lugares a um idoso que entrou. Ele calmamente foi chegando até o fim do ônibus mas ninguém levantava para dar lugar a ele.Chegando ao final do ônibus próximo ao ultimo banco onde eu estava.Levantei me e concedi o lugar a ele.Não fiz nada de louvável apenas cumpri meu dever a um senhor que visivelmente trabalhou e viveu mais tempo, que este que vos fala, e merece algum reconhecimento.Era meu dever.Coisa que meu pai me ensinou antes dos 7 anos.O que também não foi nada de louvável mas apenas seu dever como pai.
No Brasil as pessoas têm costume de achar que levar vantagem sobre alguém é sinal de inteligência. Quando é totalmente o oposto.
Seja num produto sem nota fiscal. Seja em um toco no supermercado. Seja ao tentar cortar uma fila a levar utensílios do ambiente de trabalho para decorar a casa.
Como canecas, porta lápis, canetas e etc.
Meu Mestre uma vez tinha um aluno que não treinava com ele há anos e eis que numa noite o dito cujo aparece com uma faixa colorida na cintura (azul ou verde se não me engano). Para mim isso por si só é errado. O cara estava há bilhões de anos sem treinar. Custa ele por uma faixa branca até o Mestre aceitar seu grau ou fazer um exame de compatibilidade. Isso é o mínimo. Para não bastar depois de um tempo vimos este camarada na mídia de faixa preta na cintura. Ele por mais que tenha sido o espertão que ganhou a faixa preta de um empresário interessado em manter alguém medíocre em sua escola ou ONG enquanto ambos sugam as tetas do governo. Mesmo achando que esta em vantagem, ele esta vivendo uma mentira. Uma mal contada. Além de ele ser medíocre e fora de forma, ele esta  sujeito a apanhar de um faixa colorida qualquer com a preta na cinta. Fora que imagina o que o aluno que seguir ele possa vir a se tornar: Um moleque sem fundamento, bitolado e sem técnica. Muitas vezes um protótipo de pitboy E dará continuidade a mentira de seu mestre.
Na metade dos anos 90 havia “instrutores” que abriam academias e no segundo ou terceiro mês fugiam com as mensalidades dos alunos. Hoje em alguns lugares do interior isso ainda deve acontecer.
A estrada para ser graduado é difícil. Muitas coisas podem te ajudar. Um bom condicionamento, genética (quem falar que genética não ajuda é só ver o Jon Jones e como ele a usa a seu favor em todas as lutas, amor, garra,disciplina entre muitas coisas. Muitas vezes apareceram Mefistofeles da vida lhe oferecendo vantagens, graduações, oportunidades e outras facilidades como dinheiro.Tem que ser forte para resistir.Muitas vezes você acaba até sendo visto como bobo por amigos mais próximos. Mas se manter fiel aos seus princípios acaba necessitando sacrifícios.
Fausto vendendo sua alma a Mefistófeles em troca de riquezas
Acredito que todas as coisas boas ou más geram frutos. Exemplo esses dias fui a um Supermercado e o valor da compra saiu 15 reais. Dei 55 reais ao jovem do caixa, para facilitar o troco e tals. Ele me voltou 35. Peguei 20 e guardei na carteira e falei para ele que o troco estava errado e informei que havia dado 55 e o troço certo era 40. Ele pegou meus 15 reais e me deu  40. Falei para ele que já tinha 20 na carteira e devolvi 20 a ele e fui embora. Eu poderia ter ficado com os 60. E virtualmente seria uma vantagem, mas na realidade não seria.
Hoje para minha surpresa acabei perdendo a carteira no trabalho. Do nada vieram duas pessoas que nem me conheciam e me devolveram a carteira. Estava com meu passe e meu dinheiro lá. Não faltava uma moedinha. Prefiro crer que isso tenha sido fruto da atitude que tive com o caixa do Supermercado. Eles tomaram a mesma decisão que eu (muitas vezes difícil) e no futuro creio que eles colherão os frutos.
Acho que muita coisa precisa mudar neste país e que temos muito a aprender. E se não nos despirmos desse dito “jeitinho brasileiro” a gente (digo "nós" pois a gente não conjulga verbo) realmente não vai sair disto. Enquanto houver isto. Federações serão abertas nas brechas de nossa lei para sugar o nosso dinheiro. Pessoas ensinarão sem ter ao menos aprendido para ensinar, políticos aumentarão seus salários entre outras barbáries. Não precisamos que alguém do outro lado do mundo venha nos falar o que devemos fazer a respeito dos salários irreais dos políticos e também não vamos fazer da política saída para o nosso fracasso na vida profissional. Um meio de “dar certo” na vida. Vamos semear a sinceridade pois seus frutos são bons.
Não justifique seus erros mostrando os erros dos outros. Isso é querer legalizar suas cagadas de uma forma bem rasteira. É mentir para si mesmo. Há uma grande diferença em errar e viver em erro.



David Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário