segunda-feira, 19 de março de 2012

De Charles Bronson a Restart!


Anyhaseo

Meu avô era um senhor que não teve muito estudo.A maior parte do conhecimento dele vinha da vida na roça,da atividade de marceneiro,caseiro e porteiro e grande parte de uma velha Bíblia-João Ferreira de Almeida Revista e Corrigida.Um homem baixinho de pavio curto em sua juventude.Uma vez em um jogo de futebol ele ao levar uma falta não apitada,que o lesionou, pelo juiz.Calmamente ele foi ao seu paletó e pegou sua amiga inseparável,uma garrucha 32 mm.
Voltou a campo e deu um tiro na rotula do adversário.É obvio que teve de fugir e arranjar um advogado para justificar sua vingança futebolística.Anos mais tarde quando conheci meu avô ele já tinha abandonado a fama de “cabide de armas” que tinha quando era jovem.Ele era somente meu avô.Um porteiro e na carteira de trabalho era discriminado sua educação como rudimentar.Mas eu mal via a hora em que ele chegava de manha do trabalho trazendo iogurte para mim e minha irmã.Aos domingos eu e ele íamos assistir Domingo Maior na Globo.E na época passavam sempre aqueles filmes estilo “Desejo de Matar” do Charles Bronson ou Kickboxer do Van Damme.Até naquela época os filmes eram diferentes.Um homem lutava contra os caras maus.Não existia  meio termo.O mal era o vilão e o bom era o moçinho.Hoje os filmes e desenhos apresentam personagens com uma personalidade e comportamento um tanto quanto ambígua.O mais triste é que crianças assistem e tem seu comportamento moldado nisso.Num mundo violento como o de hoje até em meninas a sensibilidade e fraqueza pode gerar sofrimentos desnecessários;imagine em um menino.Ele cresce desrespeitado e desacreditado como ser humano.Não só na TV como na vida os exemplos eram melhores que os de hoje.Meu pai foi um homem que me ensinou a sempre respeitar uma mulher e trata La bem.E isso ele me ensinou com 6 anos.Lembro me com clareza ele conversando disso comigo em sua oficina.Outros tempos.Hoje em dia o pai larga o filho no computador e mal sabe ele o que a criança/adolescente esta vendo ali.
Lamentável.
Nas artes marciais é assim.Você treina para ser exemplo.Então você tem que se portar como tal.Ninguém respeitará um mestre "sensível".Shihan quer dizer isso.O homem que serve de exemplo e aquele que todos devem ter como referencial.
Ninguém treina para ser derrotado.O amor do Mestre tem que ser transmitido em porrada.Igual uma espada em que o ferreiro,apesar de amar e ter carinho por sua obra,ele a marreta até que ela esteja de forma satisfatória para entrar em uma guerra.Mestre bonzinho como sempre falo forma aluno fraco.
Lembro de algumas vezes ter saído da academia arrasado imaginando que não era para mim treinar artes marciais,pois tinha sofrido demais no treino.Mas após uma boa noite de sono amanheci louco para voltar treinar.
Hoje existe uma supervalorização do homem dito “sensível”.O termo “emo” esta na moda.
A garotada luta por coisas fúteis como o megaupload ou choram com a musica nova do restart ,mas não se sensibiliza , e cumpre sua obrigação, a dar lugar a um idoso ou ajudar um deficiente subir a calçada.Ou mesmo se colocar no lugar de filho na sua relação com seus pais.Uma sensíbilidade falsa e equivocada em seus propósitos.
Meu Mestre de TKD e meu Sensei de Karate são pessoas com personalidades ,métodos de treinos diferentes e com certeza opiniões diferentes.Mas são homens no quesito de exemplo totalmente  iguais.Homens de verdade que vêem na fraqueza de seus alunos pedras de lapidação de caráter,justiça e honestidade.
Pense nisso.

Oss

David Mendes.

David Mendes é fã de Charles Bronson,Bud Spencer & Terence Hill e do inesquecível Dirty Harry interpretado por Clint Eastwood.E está montando uma cinemateca para a posteridade com estes filmes classicos.

2 comentários:

  1. Cara, já li esse post umas 4 vezes, e acho ele animal!
    Desculpe pela tietagem, mas é muito bom!
    E viva Charles Bronson!!

    ResponderExcluir